Uma medicação desenvolvida inicialmente para o tratamento do Diabetes, que chegou a ficar em falta nas farmácias depois de uma matéria na revista VEJA falando do seu efeito na perda de peso, quando ainda era vendido apenas como Victoza.


Capa da VEJA de setembro/2011

 

Será que é milagre mesmo, produzindo uma perda de peso rápida sem te fazer se preocupar com efeitos colaterais?  Na verdade, essa pergunta eu já vou te responder agora, no início do texto mesmo.

Não.

E hoje vou te contar o porquê.

O que é o Saxenda

Saxenda é o nome comercial do Liraglutida – uma medicação injetável subcutânea de uso diário. Primeiro começou a ser vendido como Victoza, aprovado para o tratamento do Diabetes Melitus tipo 2, e posteriormente como o Saxenda aprovado também para o tratamento da obesidade

Como Funciona o Saxenda

Funciona como um análogo do GLP-1, exercendo a mesma função dele no nosso corpo. Mas o que é esse GLP-1?

É um hormônio secretado pelo nosso intestino depois da alimentação, que tem um efeito de controlar nossa glicemia por estimular a liberação de insulina no pâncreas, retarda o tempo de esvaziamento do estomago, aumentando a saciedade, e também atua no hipotálamo, NÃO SÓ nos núcleos da sacietógenos, mas também nos núcleos hedônicos – do prazer – no núcleo accumbens. Ou seja, age no nosso sistema de recompensa! Sabe aquele dia que você chega em casa a noite, exausto do seu trabalho do dia, estressado e ansioso, e só pensa em comer alguma besteira para aliviar essa tensão do dia a dia? O GLP-1 não só aumenta a saciedade, mas diminui a necessidade de comer por recompensa.

O Problema? Esse GLP-1 é RAPIDAMENTE degradado pela enzima dipeptidyl peptidase-4 (DPP-4) e eliminado, com uma meia-vida de aproximadamente 2 minutos! Por isso foi desenvolvido o Saxenda e os demais análogos do GLP-1, mantendo a ação desse hormônio pelo dia inteiro (e em alguns casos, pela semana inteira com apenas uma aplicação – medicamentos ainda não aprovados para o tratamento da obesidade e tema para outro post)

Sendo assim, a medicação atua de diferentes maneiras:

Mecanismo periférico – retarda o esvaziamento do estomago
Mecanismo central – papel de inibição central do apetite, no núcleo do trato solitário
Apetite hedônico – no núcleo accumbens, com papel no sistema de recompensa

 

Saxenda emagrece?

Bom, você já viu como age o Liraglutida, e sendo assim, será que seu uso tem um efeito bom no emagrecimento?

Em um estudo randomizado, duplo-cego, placebo controle (Scale Obesity and Prediabetes Study), com 3731 participantes, e por 56 semanas, o grupo que utilizou o Liraglutida perdeu uma média de 8,4kg. 63% dos pacientes perderam mais que 5% do peso corporal, e 33,1% mais que 10% do peso corporal.

Em um estudo com 846 pacientes com o diagnóstico de diabetes tipo 2 (SCALE Diabetes Study),  a perda foi de 6,4kg após 56 semanas.  54% dos pacientes perderam mais que 5% do peso, e 25% mais que 10% do peso corporal.

Ou seja, ajuda a emagrecer? SIM! É uma medicação validada cientificamente e aprovada para o tratamento da obesidade.

Mas será que é aquele milagre todo que dizia a VEJA?

Para um bom resultado não adianta só usar a medicação. Você acha que vale a pena gastar cerca de 1000 reais por mês (valor aproximado usando a dose máxima, 3mg ao dia) para perder de 6 a 8kg depois de um ano? Não vale mais a pena ajustar sua alimentação, realizar atividade física de modo adequado, investigar e tratar distúrbios hormonais e ajustar seu metabolismo COMBINADO a medicação? Assim, você vai perder mais peso, mais rápido, e valorizar muito mais seu dinheiro – e é claro, sua saúde agradece!

 

Riscos e efeitos colaterais do Saxenda

Liraglutida não deve ser usado em pacientes com histórico de carcinoma medular de tireoide, devido a um aumento na incidência de tumores de tireoide em ratos expostos a doses 8 vezes maiores que as utilizadas em humanos.

O efeito colateral mais comum, disparado, é o enjoo. Essa náusea ocorre principalmente pelo retardo do esvaziamento do estomago, depois vem os outros efeitos colaterais possíveis, como dor de cabeça, diarréia ou constipação, fraqueza (comum pela pessoa estar comendo menos).

Alguns pacientes também podem desenvolver anticorpos contra a medicação, evoluindo com reações alérgicas, principalmente nos locais de aplicação. Essas reações são mais raras e exigem a suspensão das aplicações.

 

Como usar o Saxenda

A medicação deve ser aplicada por meio de injeções subcutâneas, uma vez ao dia, preferencialmente no período da manhã – para manter a ação durante o dia. A dose deve ser escalonada semanalmente, começando em 0,6mg e aumentando de forma gradual até 3mg – pois é a dose que traz melhores resultados.

Doutor, depois de emagrecer eu posso parar com a medicação?

Primeiro, entenda – a obesidade é uma doença, com uma taxa de recidiva extremamente alta, e na maioria das vezes acompanha a pessoa por toda a vida. O que vai acontecer se um hipertenso parar com a medicação? A pressão arterial sobe. E se um ex-obeso que emagreceu com medicação parar o uso?? A recidiva é muito frequente.

Porém, em boa parte de meus pacientes, prefiro manter a medicação em uma dose mais baixa, realizando ajustes no metabolismo, hormônios, vitaminas e minerais. Mudando o estilo de vida, com atividade física e alimentação, melhorando a qualidade de vida, disposição e sono do paciente.

Assim, foi possível retirar a medicação de grande número deles – com um acompanhamento apropriado.

Quer usar o Saxenda ou outra medicação no seu tratamento? Eu posso te ajudar. 

Te convido a ler os outros posts do meu blog, conhecer mais sobre mim pelo site e agendar uma consultar!