Tudo que você precisa saber sobre a Anfepramona

Uma das medicações com maior estigma em relação ao tratamento da obesidade, por sua relação com as Anfetaminas.  Estigma esse que pode ter feito com que milhares de pacientes evitassem o tratamento para uma doença extremamente perigosa que afeta todos os nossos sistemas – cardiovascular, endócrino, musculoesquelético, neurológico.

A Obesidade aumenta o risco de Hipertensão Arterial, Infarto Agudo do Miocárdio, Acidente Vascular Cerebral e todas outras inflamatórias que prejudiquem o sistema cardiovascular. Também prejudica a produção dos mais diversos hormônios, piorando os níveis de energia, sono e desempenho no dia a dia como um todo. Sobrecarrega as articulações e piora as dores físicas. Não só isso, como a inflamação também aumenta o risco de desordens neurológicas no longo prazo.

Ou seja, a obesidade é uma doença que precisa de TRATAMENTO! Lógico, incluindo sempre mudanças nos hábitos de vida, alimentação saudável, atividade física e ajustes hormonais. Mas para parte dos pacientes isso não é o suficiente.

Você sofre com o excesso de peso e tem alguma dessas queixas? Fique aqui, que hoje esse texto pode te ajudar a buscar a ajuda necessária.

Hoje eu vou desmistificar a Anfepramona, uma medicação que pode sim te ajudar na perda de peso, com muito mais benefícios que riscos.

Como atua a Anfepramona

Também conhecida como dietilpropiona, é uma medicação estimulante da classe das feniletilaminas e anfetaminas, utilizada como um supressor do apetite.

Anfepramona é uma medicação que, semelhante a outras que atuam no tratamento da obesidade, tem efeito nos neurotransmissores. O efeito na dopamina e serotonina são fracos, e aproximadamente 10 e 20x maior na noradrenalina, em comparação, respectivamente.

Atuando na Noradrenalina (Norepinefrina), seu efeito é principalmente diminuindo a fome, ou seja, o desejo e urgência pela comida.

E como aumenta esses neurotransmissores, estimula receptores beta 3-adrenérgicos e pode aumentar a lipólise – a queima de gordura. Então também pode ter um efeito duplo no emagrecimento – diminuindo a fome e aumentando a queima de gordura.

Serotonina, Dopamina e Noradrenalina – São os 3 principais neurotransmissores, e todos podem ajudar no tratamento da obesidade.

Mas cada um tem sua ação específica!

A Serotonina age na saciedade e na saciação. É o principal mecanismo de ação da Sibutramina, e você pode saber mais aqui.

A Dopamina tem papel no nosso sistema de recompensa, e uma desregulação pode levar à compulsão alimentar. O Venvanse age primariamente aqui – clique para saber mais.

E as medicações que atuam principalmente na Noradrenalina, diminuem a fome. Por exemplo, a Anfepramona, o Femproporex e o Mazindol (anorexígenos).

Anfepramona emagrece?

Nesse estudo de 6 meses com a Anfepramona, usando 75mg/dia, a perda média foi de -7,7kg. A Anfepramona produziu efeitos colaterais apenas leves, e eles estavam em maior numero que o placebo apenas na comparação de 3 meses do estudo, sendo boca seca o principal.

Nesse estudo em que individuos obesos receberam 50mg duas vezes ao dia, a perda de peso média foi de 9,8% do peso corporal após 6 meses. Boca seca e insônia foram os efeitos colaterais mais comuns. Não houve diferenças entre eletrocardiogramas, frequencia cardiaca, pressão arterial, e avaliações para depressão ou ansiedade em comparação com o placebo.

Anfepramona é uma Anfetamina?

A verdade é que houve um preconceito generalizado com relação ao uso da Anfepramona e demais medicações para o tratamento da obesidade, e muito disso veio de sua relação com as anfetaminas.

Mas a anfepramona NÃO é uma Anfetamina, e sim um derivado de sua estrutura química.

Inclusive, as anfetaminas atuam principalmente na Dopamina, e a Anfepramona e demais medicações anorexígenas, na Noradrenalina. Não tem o mesmo potencial de abuso e dependência.

Moléculas químicas – Anfetamina e Anfepramona, respectivamente. É um derivado, mas são moléculas diferentes, com ações diferentes.

 

Efeitos colaterais da Anfepramona

Você vai sentir sua boca seca. Tome muita água, e se não passar, masque um chiclete. Esse é o efeito colateral mais comum.

Outros incluem insônia, cefaléia e constipação. Mais raramente, irritabilidade e euforia.

Os estudos não encontraram aumento do risco de doenças cardiovasculares e psiquiátricas com o uso da medicação.

 

Como tomar Anfepramona

A meia-vida da Anfepramona é curta – de 4 a 6 horas (o tempo para eliminarmos metade da medicação). Ou seja, a ação é curta.

Por isso, o indicado é tomar duas vezes ao dia – 2 horas antes do almoço e 2 horas antes do jantar.

Nos primeiros 7 dias, também é indicado tomar apenas a dose da manhã, para avaliar a resposta à medicação e a sensibilidade do organismo aos efeitos colaterais.

Quantos mg? Bem, essa é uma medicação muitas vezes vendida no mercado paralelo – sem prescrição médica. E aí que entram os perigos.

Você não vai ter o resultado esperado. Você não avaliou seus hormônios, sua ingesta proteica, a intensidade da sua atividade física e seu estilo de vida.

Por isso, não vou falar aqui dosagem recomendada da medicação para te ajudar na perda de peso – converse com seu médico!

 

Concluindo

Nessa semana, atendi um paciente que, em sua primeira consulta comigo, há cerca de 2 anos, tinha uma queixa muito comum – “Dr., eu emagreço, mas recupero tudo!”.

“Já cheguei a perder 30kg, mais ganhei tudo de novo”, ele dizia.

Ele tomava medicações anorexígenas sem fazer os outros ajustes necessários.

Comigo, corrigimos o seu sono, alimentação e atividade física. Combinamos isso à reposição hormonal e ao uso da medicação mais indicada.

Em sua consulta dessa semana, sua frase foi outra:

“Dr., eu nunca fiquei tanto tempo magro!”

O que você deseja para sua vida?

 

Se eu pude te ajudar com esse texto, compartilhe nas redes sociais, e se deseja agendar uma consulta, clique logo abaixo!